Persechini lança novo EP: Placentário


Arte: André Persechini

Ouça também em outros streamings.



Texto por Juliana Trevisan


"Placentário" é uma bomba imersiva. É difícil ouvir os 21 minutos do EP sem se pegar hipnotizado em algum momento, sentindo apenas os graves das canções e absorvendo inconscientemente cada letra.


Saindo da zona de conforto do rock mais rapidinho e do hardcore, caminho que André Persechini vem trilhando desde 2002 na cena independente, seu EP de estreia pela Rapadura Records traz melodias hipnotizantes e bem brasileiras.



Algumas músicas já haviam sido escritas há algum tempo mas a gravação foi feita durante a quarentena, em casa, o que parece tornar "Placentário" ainda mais imersivo e introspectivo. Além disso, o disco também deriva de um processo de gestação: o primeiro filho de Pepo e Stephanie nasceu no mês de agosto.


Em Futuro, música que abre o EP, nos é apresentado questionamentos sobre esse incerto destino da humanidade, mas enfim, é preciso seguir. "Talvez acabe em gelo e vazio/Então nos resta esquentar o caminho". Ao mesmo tempo em que aborda as incertezas, traz também as possibilidades de criação. O clipe feito por Persechini para a composição você pode assistir aqui:



A próxima faixa é a mais agitada e dá até um ânimo pra nós que ainda temos Muita Lenha Pra Queimar. Trata sobre amadurecimento e novas percepções sobre o modo de lidar com a vida. De certa forma, é o marco de uma vida adulta, o meio termo das idades e o entendimento que não há muito a se perder no fim das contas, então deixe queimar.


O Calor é uma música sinestésica e é quase possível se sentir andando em uma zona árida, um tanto paralisante mas ainda habitada energicamente conforme o beat do sintetizador se arrasta. A sensação aumenta ainda mais quando a música é tomada pelo coro de vozes que se repete dizendo desse calor e a guitarra preenche o canto melodicamente.


Lançada como single de forma independente, Amor Pelo Brasil contempla nossas vivências em meio a quarentena, coisa que nem nossos bisavós presenciaram e que fica ainda mais complicado quando se tem um governante irresponsável. Segue abaixo o clipe do single, feito por Persechini.



Palha, Beleza e Ar é, dentre todas, a que mais me hipnotiza. A repetição da batida e os ambientalismos ao fundo nos levam a um campo em chamas, seco, e que precisa de cuidados, ao mesmo tempo que nos transporta a um destino simples, cujos brotos acabam de renascer e finalmente podem alimentar os que dependem da terra.




O Que Resta No Final fecha o lançamento com a mais fina das guitarras melódicas, combinada com o sintetizador e uma voz que fica lá no fundo, misteriosa. O clímax é atingido quando a progressão muda drasticamente, é de arrepiar.



Placentário é um EP original e espirituoso, introvertido e que desperta todo tipo de sensação. O ouvinte certamente será levado para paisagens nostálgicas, existencialistas, agonizantes e também otimistas, com um toque de realismo.





É como nos conta André Persechini:


"Placentário" é uma busca por novas maneiras de compor e escrever nesse período tão intenso que foi aguardar meu primeiro filho durante a pandemia. Através dele, fui à procura de espiritualidade agnóstica e de ligação ancestral. Foi um desafio, por lidar com inseguranças e autocriticas paralisantes.


Foi também colaboração, para preencher os espaços que faltam na minha técnica e nos meus ouvidos. Foi caminho para sanidade e reflexões sobre meu lugar no mundo. Nele procuro esperança e vou de encontro ao meu futuro de braços abertos.


Assim como o filho, "Placentário" começou como ideia, foi se tornando realidade possível e nasceu pelo desejo e tesão. Me coloco nele de maneira honesta e aberta, ciente das minhas limitações e imperfeições. Assim como meu filho, ele nasceu sem pedir licença, veio quando tinha que vir, no seu tempo e do seu jeito.


Gravado em casa entre os meses de março e julho de 2020, com a ajuda dos amigos Fernando Bones (Aldan), baixo e mix na faixa "Futuro", Breno Assis (Roboto) baixo em "Muita Lenha Pra Queimar", Felipe Ambrósio (artista visual e designer em @dizeresimperfeitos) na base de sintetizadores e beat em "Amor Pelo Brasil" e da minha querida companheira Stephanie Boaventura (@steh_boaventura) nos backing vocals de "Palha, Beleza e Ar.


Nosso filho nasceu. Inácio chegou arrebatando as nossas estruturas. Chegou como força da natureza para nos guiar. Ofereço esse disco a ele, por ter me inspirado mesmo antes da concepção e por ser luz intensa na escuridão que vivemos.



Persechini - Placentário


"Futuro"

Letra por André Persechini

Música por André Persechini e Fernando Bones

Vocal, Guitarras, Synths e Beat por André Persechini

Baixo e Mix por Fernando Bones.


"Muita Lenha Pra Queimar"

Letra e Música por André Persechini

Vocal, Guitarras, Bateria e Mix por André Persechini

Baixo por Breno Assis


"O Calor"

Letra e Música por André Persechini

Vocal, Guitarras, Synth, Beat e Mix por André Persechini


"Amor Pelo Brasil"

Letra por André Persechini

Música por André Persechini e Felipe Ambrósio

Vocal, Guitarras e Mix por André Persechini

Synth e Beat por Felipe Ambrósio


"Palha, Beleza e Ar"

Letra e Música por André Persechini

Vocal, Violão e Mix por André Persechini

Backing Vocal por Stephanie Boaventura


"O Que Resta No Final"

Música por André Persechini

Guitarras, Synth, Beat e Mix por André Persechini


1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

•blog•