Gaspacho faz versão de Honey Pot e cita 6 motivos pra gostar de Beat Happening





Depois do single de estreia “Pandemônio”, o novo lançamento da Gaspacho é uma versão singela e honesta de “Honey Pot”, da banda Beat Happening. O trio de Olympia formado em 1982 por Calvin Johnson, Heather Lewis e Bret Lunsford ampliou as possibilidades dentro do punk ao quebrar o estereótipo do moicano e abrir espaço para jovens de cardigan, como bem pontua Michael Azerrad no livro “Nossa banda podia ser a sua vida”.


O cover do duo lançado pela Rapadura Records em parceria com a Pug Records foi gravado com plástico bolha fazendo a vez da bateria; um cano de papel pra dar um efeito de reverb natural pro vocal da Liz; e o vocal da Juliana foi gravado num aplicativo de celular. Veja o vídeo feito por Eliza:



Beat Happening é uma das grandes influências do duo, principalmente por refletir tão bem a ideia do D.I.Y. e de quem não é preciso estudar quase uma década para tocar um instrumento e gravar sua própria música. Convidamos as duas para citarem 10 motivos pra gostar de Beat Happening, leia abaixo:


1. Simplicidade

Logo que começaram a ensaiar, a bateria era feita com embalagens de iogurte, a guitarra tinha sido comprada em um brechó e ninguém tinha amplificador; os três revezavam os instrumentos e Johnson e Lewis revezavam os vocais. Quem não tem muita experiência com o estudo de partituras e escalas logo se identifica com as melodias simples e repetitivas que embalam as músicas.



2. Te faz acreditar que você também consegue fazer música

Quando você ouve algo do Beat Happening e pensa “ah, isso até eu consigo fazer”, o desafio está lançado. Pois bem, então vá e faça! Uma das grandes sacadas da banda é essa capacidade de incentivar e criar novas(os) compositoras(es) e cantoras(es) a fazer canções autorais. É exatamente a simplicidade de Beat Happening que estimula a criatividade de artistas que estão querendo começar algum projeto musical e não sabem como ou não se sentem capazes.



3. Acessível

Gostar de Beat Happening não exige nenhuma habilidade social especial, você não precisa se vestir de algum modo específico ou ter o cabelo espetado ou comprido. Talvez demande alguma esquisitice de quem escuta pra dançar junto com Calvin mas a banda passa longe de extremos — desde extremos muito “cults” como música clássica a extremos mais pesados como metal.


4. Sentimentos banais

Além da simplicidade na forma de fazer o som, as letras da banda também são simples, trazendo temas cotidianos que não aparentam ter valor de forma imediata e sem filtros.


5. Juventude

A aura juvenil quase infantil está sempre presente, com músicas inspiradas em cantigas de acampamento, o que cria um clima aconchegante, como o que a gente imagina ser o de estar em volta da fogueira com os amigos.



6. International Pop Underground

Além de tudo, foi uma das fundadoras do “International Pop Underground”, dando frutos a diversas outras bandas semelhantes que foram pulverizando de Olympia para o resto do mundo. Começou com um festival em Olympia no final dos anos 1980 e ao longo dos anos foi agregando artistas com as mesmas afinidades estéticas como o Pastels, Lois, Shadow Man on Shadow Planet, Girl Trouble, Mecca Normal etc etc.

Recomendamos a leitura da biografia da banda no site allmusic.



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

•blog•

Selo Musical | blog | produtora

São João del-Rei - Minas Gerais