O impacto do apoio cultural a uma banda indie

Texto por Igor Monteiro

A Café Soberano nos dias atuais. Foto: Acervo da empresa

Em novembro de 2020, a Churrus lançou pela Rapadura e outros selos parceiros o "Besides", disco que reúne diversas músicas que ficaram de fora do álbum anterior.

Mesmo presente nos serviços de streaming, a banda possui uma comunidade legal de amigos e fãs colecionadores que aguardavam carinhosamente a chegada do disco físico.


Aqui na Rapadura foi uma correria danada para que pudéssemos lançar a nossa Lojinha e distribuir o disco a tempo. Deu tudo certo, saíram encomendas pra todos os lugares, dentro e fora do Estado.


Porém, é sempre importante reafirmar o quanto a produção de um material físico gera incertezas para uma banda independente, especialmente no período de pandemia, em que shows não podem ser realizados e a arrecadação é muito reduzida. E é aí que a Café Soberano entra na história.

A Café Soberano em meados da década de oitenta. Foto: Acervo da empresa

Muito tradicional nas mesas e canequinhas esmaltadas de São João del-Rei, a Café Soberano é uma marca que existe há quase um século na cidade e possui grande credibilidade na região. Quase todo são-joanense deve reconhecer o jingle "Café Soberano, gostoso como a amizade".


Desde 1984 a empresa pertence à família Baccarini, que procurou cada vez mais investir no controle de qualidade do produto, como nos conta Patrícia, gerente comercial da empresa:

Patrícia Baccarini: "Nós investimos muito em maquinários modernos. Temos um especialista que faz uma seleção cuidadosa dos grãos antes e depois das compras. Também fizemos diversos cursos como os de seleção e classificação de café... Quer dizer, nós estamos sempre investindo em melhorias"


O verso do CD Besides

A Café Soberano decidiu apoiar diretamente a produção dos discos físicos do "Besides". A ideia partiu de Tulio Panzera, membro fundador da Churrus, que já conhecia Patrícia e André, seu marido.

Tulio Panzera: "O André é são-joanense e gosta de rock n' roll, esteve presente em vários shows nossos. E o Matheus, nosso guitarrista, foi vizinho de infância da Patrícia. Então eu achei que seria uma boa oportunidade se aproximar de quem gosta da gente. Seria bom para os dois lados."


O projeto de apoio para a prensagem dos CDs foi apresentado à Patrícia pelo próprio WhatsApp. Como eles já conheciam a banda e os membros, o retorno foi bem rápido.


Mas esse apoio também reflete, como afirma Patrícia, o modo como a empresa enxerga o lado artístico-cultural da cidade:

Patrícia Baccarini: "Nós da Café Soberano sempre enxergamos como uma obrigação nossa apoiar as coisas boas de São João del-Rei. Afinal, é aqui que a gente tá, somos daqui e temos que valorizar o que é daqui. Fizemos nossa vida aqui e temos que dar uma contribuição. Nós achamos esse lado artístico-cultural da cidade muito rico e carente de apoio. Então sempre que temos oportunidade, quando vemos que o projeto é sério e quando temos condições, nós procuramos apoiar"



A banda Churrus


Túlio Panzera: "É importante termos apoio de empresas daqui da cidade. Funciona como divulgação e os dois lados ganham, tanto o artista que muitas das vezes não pode contar com editais para projetos de pequeno porte e a empresa, que mostra que se preocupa com o desenvolvimento cultural da cidade. Aliás, eu enxergo o café, assim como o queijo, um produto cultural. Cada local tem um queijo e um café específicos, que dependem de fatores regionais para terem determinadas características".


Como vocês já devem saber, a Rapadura tem parceria com cerca de dez bandas atualmente, sendo várias de São João del-Rei. Pudemos acompanhar de perto o impacto positivo do apoio cultural para a banda Churrus, já que a consolidação do projeto em plena pandemia permitiu não só a divulgação da banda como a da imagem da Café Soberano. Para além disso, os CDs também alimentaram este pequeno mas ousado mercado que estamos inseridos, apresentando ao fã da banda um produto da melhor qualidade possível dentro das possibilidades financeiras dos artistas regionais.


Ou seja, é possível.


A cidade respira arte e cultura há centenas de anos. Resta um olhar mais atento e apoio de fato para esses artistas, dentro do que for possível, é claro. Mas cada ajuda, independente do que seja, faz toda a diferença. E para você que está lendo, isso vale não só pra São João del-Rei, ok? :)

Foto: Banco de imagens.

Igor Monteiro: "Para finalizar, o slogan da Café Soberano é 'gostoso como a amizade'. Será que 'gostoso como uma boa música' também representa um sentimento da empresa?"


Patrícia Baccarini: "Você tem razão. Claro que o slogan podia ser isso. Quando a gente pensa em parar para tomar um café, a gente só pensa em coisa boa, né? Uma boa companhia, uma conversa agradável, ou mesmo sozinhos... Tudo o que é bom, tudo o que te remete a coisas boas, a afeto. Uma boa música combina bem com um bom cafézinho"

Fica meu agradecimento especial à Patrícia e Túlio pela gentileza em nos conceder essa entrevista

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

•blog•